Publicar em acesso livre

 A divulgação da investigação passa por publicar em Acesso Livre (Open Access).
As revistas em Acesso Livre obedecem a normas e práticas do sistema de publicação científica por subscrição – processo de revisão por pares, indexadas em bases de dados, tem fator de impacto e são constituídas por investigadores e sociedades científicas.

Atualmente grande parte das revistas de reputadas editoras e sociedades científicas possuem artigos em acesso livre. Para suportar a publicação em acesso livre são cobradas taxas aos Autores - há por isso necessidade de conhecer as políticas de publicação de cada revista a que se pretenda submeter artigos.

As publicações em acesso livre (artigos de revista, comunicações a conferências, livros, teses, dissertações) dos docentes e investigadores da UNL estão depositadas no RUN – Repositório da Universidade Nova.
O RCAAP – Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal constitui o ponto único de pesquisa, descoberta, localização e acesso a milhares de documentos de carácter científico e académico, nomeadamente artigos de revistas científicas, comunicações a conferências, teses e dissertações, distribuídos por inúmeros repositórios portugueses.

Numa altura em que as políticas de financiamento da Comissão Europeia através do programa HORIZON 2020 e da Fundação para a Ciência e Tecnologia obrigam à disponibilização, em acesso aberto, da produção científica resultante dos projetos de I&D por si financiados (num prazo de 6 meses a contar da data de publicação, no caso das ciências médicas) e com o Decreto-Lei nº115/2013 de 7 de Agosto (Lei do Depósito Legal de Teses e Dissertações) que obriga ao arquivo das teses e dissertações em repositórios institucionais 60 dias após a sua defesa - o RUN apresenta uma estrutura e informação relevantes que permitem avaliar o impacto da produção científica realizada na UNL.

De salientar que, tanto a Comissão Europeia através do portal OpenAIRE, como a FCT através do portal RCAAP dispõem de mecanismos de monitorização que permitem assegurar que a produção científica resultante de projetos por si financiados esteja disponível em acesso aberto. Neste aspecto, o RUN desempenha um papel fundamental, não só porque permite que os docentes/investigadores cumpram com os requisitos de financiamento, mas também, porque é interoperável com os portais OpenAIRE (que agrega toda a produção científica, em acesso aberto, financiada pela Comissão Europeia) e RCAAP (que num futuro próximo, passará a agregar toda a produção científica, em acesso aberto, financiada pela FCT).

Para conhecer as políticas e alguns dos recursos em Open Access consultar: